Jovens mudaram a relação de uso com o Facebook

0

Nesta segunda-feira (10), uma pesquisa foi divulgada a respeito do uso do Facebook, da tecnologia, e de redes sociais entre adolescentes, evoluiu mudando a relação destes com a conta pessoal na rede social.

Queda de acessos diários

No ano de 2012, quando o estudo foi realizado pela primeira vez, apenas um terço dos adolescentes que foram entrevistados, disseram que usavam a rede social mais de uma vez por dia.

Nesta pesquisa realizada, dos 70% entrevistados, apenas 16% acessavam o Facebook constantemente. O que é uma queda considerável, levando em conta a atratividade que a rede social tem tentado promover, entre os jovens.

Hoje, as redes sociais ocupam uma maior parte na vida dos jovens, do que no ano de 2012, como disse um dos autores do estudo, Michael Robb, diretor de pesquisas da Common Sense, uma organização sem fins lucrativos que permite o acesso à tecnologia entre crianças.

O número de smartphones cresceu entre os jovens de 41% para 89%, possibilitando a conexão contínua deles com o mundo virtual. Há seis anos atrás, cerca de 68% deles usavam frequentemente a rede social. Hoje, apenas 15% usam o Facebook.

Uma das jovens entrevistadas, de apenas 16 anos mencionou que só usa o Facebook para se comunicar com os seus avós, resposta que surpreendeu a todos.

O Instagram (comprado pelo Facebook em 2012), é apontado como uma das redes preferidas dos jovens (22%), onde postam os melhores acontecimentos, e outros 41% preferem o Snapchat para divulgar pequenos acontecimentos no dia a dia.

Os jovens apontaram ainda a preferência de se comunicarem pelas redes sociais, ao invés de pessoalmente. Seja por mensagem de texto, ou de forma virtual, o relacionamento pessoal caiu consideravelmente.

 

 

Preocupação evidente

Os resultados da pesquisa não trouxeram boas perspectivas, pois uma sociedade que prefere se comunicar virtualmente, e de forma cada vez mais ininterrupta, trará a longo prazo uma queda na qualidade de vida.

Entre os jovens principalmente, já que todo o corpo está em formação, bem como o cultivo de bons hábitos nesta fase da vida, devem ser reforçados e implementados.

Problemas diversos, surgem com o uso demasiado de mídias sociais, entre eles podemos citar: problemas de visão, autoestima baixa, complexo de inferioridade (ao se comparar com a vida de outras pessoas), insatisfação com o próprio corpo, bullying, antissociais, entre outros.

Os pais, devem estar envolvidos constantemente no monitoramento do tempo de uso em frente às redes sociais, acompanhando os filhos de perto, reforçando o diálogo entre eles, fazendo-os entender a importância das relações humanas.

A tecnologia deve ser uma ferramenta à serviço do ser humano, e não um meio que o escraviza. Se os problemas podem ser evitados, que sejam de forma familiar, com todo o suporte psicológico a fim de promover a socialização.

Os jovens, são facilmente influenciados pelas novas mídias que surgem, fazendo-os querer acessar e consumir todo o novo conteúdo criado. Assim, entre eles o sucesso de um novo programa, ou aplicativo é mais evidente.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.