Empresas de tecnologia disputam países com maior população off-line

0

De acordo com informações fornecidas pelas Nações Unidas, a China e a Índia são os maiores mercados de internet do mundo, onde também se encontram a maior população sem acesso à internet.

Censura na China

As empresas chinesas como Huawei e Xiaomi, estão entre as maiores fabricantes de celulares do mundo. O país tem 1,4 bilhões de habitantes, e possui cerca de 721 milhões de usuários de internet.

Mas, apesar de um grande número de pessoas conectadas à internet, a censura no país, para a entrada de novas empresas de tecnologia, ainda é muito forte.

O Baidu é um dos sites mais utilizados pelos chineses para pesquisa online, e o WeChat, como o aplicativo de mensagens mais usados na China. O Google e o Facebook, ainda não conseguiram operar no país.

Índia

Na Índia, são mais de 400 milhões de usuários de internet, o que parece ser um número grande, nem chega perto dos 1,3 bilhões de pessoas que vivem no país.

Todo o resto não consegue se conectar à internet, sendo considerada a maior população off-line do mundo, de acordo com os dados fornecidos pelo Banco Mundial em 2016.

A expectativa é de que até 2021, o número de usuários de internet no país, ultrapasse 630 milhões de acessos. A Índia é um país emergente, por isso, grandes empresas de tecnologia já estudam meios de levar conexão a todos.

O Facebook liderou um projeto para levar mais conectividade aos moradores do país, chamado de Free Basics (antes denominado Internet.org), em conjunto com operadoras de telefonia, em que as redes sociais oferecem acesso gratuito aos sites pelo aplicativo.

 

 

O projeto foi lançado em 2013, e aplicado em 40 países como, República Dominicana, Honduras, Panamá, México, Peru, Egito, Mianmar e Índia. Mas, na Índia o ativista digital Nikhil Pahwa, foi um dos que criticaram duramente a iniciativa.

Segundo ele, esse projeto deveria ser proibido em todo o mundo, por ser considerado um colonialismo digital desnecessário. Já o criador do Facebook, Mark Zuckerberg, defendeu o projeto, ressaltando que todos devem ter acesso à internet.

O novo projeto criado pelo Facebook, denominado de ´´Express Wi-Fi´´, está ainda em fase inicial, mas promete avançar primeiramente na Índia. O Google também mantém um acordo com o governo, para a construção de uma rede de pontos de banda larga.

Conhecida como FSOC – Free Space Optical Communications (comunicações ópticas em espaço aberto), a internet de banda larga oferecida pelo Google, vai integralizar os habitantes do país.

O número de usuários na Índia para o uso de mensagens como o WhatsApp, tem 200 milhões de acessos por meio do aplicativo. Além disso, o país está crescendo consideravelmente, no ramo de venda de celulares mais sofisticados.

A Samsung também está de olho nesse mercado off-line da China e da Índia, já que a sul-coreana pretende vender mais de 120 mil celulares nesse nicho de comercialização, que vem se tornando cada vez mais competitivo, procurado e disputado pelas grandes empresas tecnológicas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.