Facebook e Twitter prometem ser mais transparentes em seus anúncios

Com nova ferramenta, usuários poderão verificar a transparência de anúncios publicitários.

0

As duas maiores redes sociais do planeta nesta semana prometeram ser mais transparentes quanto a seus anúncios exibidos para os usuários, através da inclusão de uma ferramenta capaz de apresentar todos os detalhes da publicidade, algo que era restrito apenas para o anunciante e também para a plataforma.

Nesta última quinta feira (28 de junho) o Twitter fez um anuncio citando que acabou tornando muito mais fácil a interação dos usuários com os anúncios, principalmente sobre aqueles de cunho político. É possível identificar quem realizou o pagamento e quem foi o responsável por definir a campanha. Tudo isso acontece em meio a uma ameaça de regulamentação das redes sociais, que já está quase 100% aprovada nos Estados Unidos.

Entre os detalhes desta regulamentação, está a divulgação dos gastos em campanhas políticas que são feitas através das redes sociais. Pois em muitos casos, o sistema pode servir como lavagem de dinheiro e o valor destinado acaba “poluindo” a timeline dos usuários com aquele que mais investe nos anúncios.

A ferramenta do Twitter irá se chamar “Centro de Transparência de Anúncios”. Ela irá permitir que qualquer usuário possa visualizar os anúncios exibidos na plataforma, tudo de maneira simples e com apenas alguns cliques, o mais “transparente” possível.

A vez do Facebook

Um dos principais atingidos pela nova política de privacidade, após os escândalos envolvendo a marca em 2017 e 2018, por conta das eleições americanas e sua influência, o Facebook anunciou que irá mais longe na transparência de seus anúncios. Os usuários da rede social poderão verificar a listagem de todas as campanhas publicitárias ativas, independente de ser um anunciante político ou “comum”. Isso porque muitos utilizam da publicidade para criar campanhas falsas, utilizando inclusive marcas famosas.

Os usuários do Facebook também poderão consultar um histórico de alterações dos nomes das páginas, identificando o uso indevido dos recursos disponíveis na rede social.

Outras informações

O Google que não foi citado mas também está empenhado em dar transparência para os seus anúncios e serviços, disse em nota que pretende lançar um centro de transparência para seus anúncios políticos a partir deste segundo semestre até o começo de 2019.

O Twitter informou que o seu centro de transparência irá incluir todos os anunciantes mundiais, porém nesta primeira fase, a transparência estará voltada para as campanhas eleitorais dos Estados Unidos.

Transparência nas eleições brasileiras

No Brasil este e os próximos meses, as publicidades das campanhas eleitorais para outubro estarão a “todo vapor”, por isso durante o anúncio global, o Facebook acabou relatando que está focando em medidas de transparência voltadas para o Brasil, justamente por conta das eleições presidenciais. Entre as opções da ferramenta, estarão ações que incluem arquivos pesquisáveis, todos voltados para o cunho político e também um histórico destes anúncios dos últimos sete anos. Outra novidade é com relação aos perfis que visualizaram os anúncios, sendo exibido dados sobre estes usuários.

No Brasil, o Facebook também irá permitir a consulta de informações de anúncios que estão ativos e as páginas estão realizando a divulgação. Todos os recursos também estarão disponíveis em outras plataformas da rede, como o Instagram, Messenger e outros.

Campanhas eleitorais

Para poder fazer campanhas eleitorais no Facebook, os candidatos e partidos, precisam se cadastrar na plataforma e só então veicular anúncios políticos. Todos os detalhes ainda estão sendo finalizados e o Brasil será o segundo país a contar com toda a rotulação de anúncios com conteúdo político, logo após os Estados Unidos.

Segundo os executivos da rede social, as ferramentas vieram para que a plataforma possa ser usada de forma correta, afastando pessoas e empresas que estejam mal intencionadas. Eles ainda prometem que novas ferramentas estão sendo desenvolvidas, das quais irão permitir que os usuários mal intencionados sejam identificados e todo o impacto negativo que eles acabam trazendo para a rede, seja eliminado, tornando o ambiente o mais saudável possível.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.