Facebook continua a investigação sobre o uso indevido de dados da plataforma e suspende cerca de 200 aplicativos até agora

0

Falta de privacidade na internet não é um assunto to novo assim, pois muitas pessoas já chegaram a ser vítimas de algum tipo de crime virtual que de alguma forma obteve os dados de uma pessoa em especial e em seguida espalhou o que não devia pelas redes.

Hackear uma conta de perfil de rede social, conseguir informações confidenciais que só você poderia ter acesso em algum cadastro eito na internet, ter como descobrir quais são as senhas escolhidas por você para ingresso em perfis ou ainda em sites de compras e coisas do tipo se tornou, infelizmente, algo aparentemente normal. E, dentro deste cenário, uma das maiores redes sociais do mundo não poderia ficar de fora: o Facebook.

O Facebook se tornou palco de um cenário caótico quanto à problemática do uso indevido de dados de usuários pela internet. Muitas plataformas conseguiam ter acesso ao cadastro dos participantes da rede e então usar os dados deles em algum tipo de situação não autorizada e muito menos conhecida.

Mas, o que os responsáveis pela rede social afirmam é que os principais “hackeadores” de conteúdo seriam mesmo aplicativos que estariam estabelecendo conexão com o Facebook (em alguns casos sendo autorizados por usuários a fazer isso) e que usariam os dados de forma indevida sem que o usuário soubesse.

Para tratar este problema, os responsáveis pela rede social determinara que seria necessária uma investigação para saber quais são estes aplicativos que vem causando o terror nas redes e então bloqueá-los deste acesso, ou em casos mais extremos suspender a sua função.

Até agora a investigação conseguiu suspender cerca de 200 aplicativos em sua primeira fase, aplicativos estes que tiveram acesso de alguma forma a uma grande quantidade de dados dispostos na rede de forma confidencial, mas que foram “vazados” pelos aplicativos.

Essa quantidade de aplicativos suspensos se tornou uma resposta ao escândalo criado em torno do uso de dados na rede social pela consultoria política Cambridge Analytica, sendo uma das primeiras organizações a falar sobre o problema e expor os seus efeitos com o intuito de serem notados pelos representantes do Facebook com o objetivo de que eles se posicionassem a respeito e resolvessem a situação.

O Presidente-executivo da empresa, Mark Zuckerberg, anunciou o início da investigação em 21 de março deste ano e até agora forma suspensos 200 aplicativos irregulares e que usavam os dados dos usuários de forma duvidosa.

O problema com o uso indevido dos dados no Facebook

O problema envolvendo o uso indevido dos dados de usuários do Facebook foi entendido como uma espécie de escândalo de grandes proporções. Estima-se que chegaram a serem usados os dados de 87 milhões de usuários da rede social, sendo 443 mil dele no Brasil. O pontapé inicial do escândalo se deu em uma matéria exposta pelo jornal The New York Timesonde ele expôs o compartilhamento indevido de dados de usuários através de uma espécie de quizzde terceiros muito comum dentro da plataforma.

Em pouco tempo as autoridades tomaram conhecimento a respeito e pediram que Mark Zuckerberg se posicionasse a respeito, o valor do Facebook encolheu em aproximadamente R$ 115,5 bilhões e foi necessário a criação de alguma política para resolução do problema. Com isso, se deu início ao processo de investigação dos aplicativos e gora a suspensão de 200 deles.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.