Dirigentes da Educação se reúnem em Brasília para melhorias do ensino básico

0

Os membros da Undime – União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, se reuniram nesta segunda-feira dia 9, com o ministro da Educação, Rosseli Soares em Brasília.

O assunto a ser tratado na assembleia, foi sobre melhorias na educação básica, como o financiamento para matrículas em creches, os programas Novo Mais Educação e de Gestão da Educação Municipal e liberação de recursos para o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Essa reunião foi a primeira que o ministro teve com os membros da Undime. Segundo Rosseli, manter o diálogo é essencial para compreender as carências e dificuldades enfrentadas pelas secretarias municipais de educação.

A Undime constitui-se de 5.570 gestores dos municípios brasileiros, regido pelo presidente da instituição Alessio Costa Lima.

Toda a pauta apresentada na conferência, será encaminhada e tramitada no Ministério da Educação, levando-se em conta as questões mais urgentes e precárias.

Os Educadores debateram sobre o ensino básico nas creches em todo o país, que precisam ter um plano de desenvolvimento de Educação mais sólido, para as crianças terem contato desde cedo.

De acordo com o presidente da Undime de Goiás, Marcelo Ferreira da Costa, o Ministério da Educação tem trabalhado juntamente com os governos federal, estadual e municipal para construírem a base de Educação no país.

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), é parte desse processo de mudanças em toda a rede de escolas particulares e públicas no Brasil, sendo um desafio para gestores e professores introduzirem o conteúdo novo nas salas de aula.

 

 

 

Competências do BNCC

As competências gerais do BNCC, constituem-se em: valorizar e utilizar conhecimentos da história do mundo, da sociedade, cultura, do mundo digital, a fim de contribuir para uma sociedade mais justa e empática;

Instigar a curiosidade intelectual, a investigação, a ciência, o pensamento crítico, a imaginação, a reflexão e a criatividade, a fim de que soluções sejam criadas para todos os tipos de problemas;

Valorizar, prestigiar e incentivar as manifestações artísticas e culturais, não só das locais, mas também as mundiais, reforçando a arte aliada à educação;

Integrar as várias formas de comunicação: oral, escrita, leitura, escrita em braile, e Libras, a fim de que todos estejam participando ativamente do processo de aprender;

Criar argumentos com base em fatos, relatórios e afirmações confiáveis, a fim de defender ideias, opiniões e decisões, promovendo os direitos humanos, a sustentabilidade no meio ambiente e o consumo responsável;

Mudanças

Essa diretriz curricular, não anula as anteriores, apenas complementa, soma e acrescenta na adequação para cada base escolar.

Algumas matérias não serão mais ensinadas, como o ensino religioso, já o inglês passa a ser a língua estrangeira obrigatória. O MEC definirá ainda qual a segunda língua estrangeira a ser implementada.

Antes, as crianças deveriam ser alfabetizadas até o 3º ano do ensino fundamental, com a nova diretriz, o processo deverá ser feito até o 2º ano. As mudanças ainda contam com o desenvolvimento de cada criança, e o tempo de aprendizado de cada uma.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.