07/11/2013 22:15

Rio Preto está na rota do tráfico de pessoas

Quatro pessoas são investigadas por exploração sexual. Uma levaria grupo de mulheres para os EUA

Por: Natália Bueno
natalia.bueno@bomdiariopreto.com.br

A Polícia Civil investiga rota de tráfico internacional de mulheres para prostituição em Rio Preto. Nesta quinta, foram cumpridos três mandados judiciais de buscas e apreensão na casa das quatro pessoas investigadas. Dois homens foram presos. Os mandados foram cumpridos em uma casa no bairro Vila Toninho, em uma chácara entre Rio Preto e Guapiaçu e em uma casa no condomínio de luxo Damha I. 

Foram apreendidos nos três locais R$ 2,5 mil, U$ 2,1 mil, 4,250 mil em euros, seis armas, munições, porções de maconha, balança de precisão digital, diversos celulares, notebooks, catálogos com fotos de mulheres, vibradores e fantasias. 

Segundo a delegada Dálice Ceron, da Delegacia de Defesa da Mulher, os suspeitos são investigados por exploração sexual de menores. Helena Aparecida da Silva é apontada como líder do suposto esquema e também é investigada por tráfico internacional de mulheres. Segundo Dálice, há suspeita de que ela enviaria um grupo de mulheres aos Estados Unidos. Lá, elas trabalhariam como prostitutas. Silva já tinha passagem pela polícia por rufianismo.

Silva estava na chácara com o filho, o comerciante Humberto Sanches Alves, de 49 anos. No local foram encontradas cinco armas sem registro. Alves foi preso e responderá por posse ilegal de arma de fogo.

A casa no condomínio de luxo pertence a um casal de empresários donos de uma loja de moda praia. Segundo o delegado do GOE (Grupo de Operações Especiais), Paulo Grecco, eles são investigados por exploração sexual de menores. O homem foi preso por porte irregular de arma de fogo, já que na casa foi encontrada arma com numeração raspada. Porém, segundo Grecco, o empresário pagou fiança e foi liberado. 

Já na casa do bairro Vila Toninho, estava uma adolescente de 17 anos. Segundo Dálice, ela aliciava garotas para o suposto esquema de prostituição. Ela também foi ouvida e liberada.

De acordo com a delegada, um inquérito foi instaurado no fim do mês passado, após a polícia receber denúncias sobre os casos de prostituição. 

“Agora os objetos apreendidos serão levados para perícia. A partir do laudo, poderemos ou não confirmar as suspeitas”, disse ela. Ainda segundo Dálice, Silva e o casal de empresários negaram envolvimento nos casos e disseram não se conhecer.

MAIS

Balanço de operações
Segundo o delegado José Mauro Venturelli, da delegacia Seccional de Rio Preto, a Polícia Civil da cidade e região realizou  operações nesta sexta. Foram cumpridos 42 mandados, 16 pessoas presas, sete armas apreendidas, dois veículos recuperados e apreensões de porções de maconha e cocaína. Segundo o delegado Paulo Grecco, do GOE, em Rio Preto uma empresa de ônibus é investigada por usar veículos dublês. Dez placas foram apreendidas.

Compartilhe: