31/05/2013 06:30

Policial militar mata namorada a tiro

Acusado, de 27 anos, foi preso em flagrante e levado ao Presídio Romão Gomes. Ele alegou acidente

O soldado Marcelo Santos da Cruz, de 27 anos, foi preso em flagrante, ontem, acusado de matar a tiro a namorada, Maria Ivanilda de Aquino, da mesma idade, em um hotel do Jabaquara, Zona Sul. Ele alega que a arma disparou acidentalmente.

O crime, ocorrido às 4h10 de ontem em um quarto do Hotel Gales, na Avenida dos Jequitibas, surpreendeu a família da vítima. O casal havia se separado há dois meses e ninguém sabia da suposta reconciliação.

A tia de Ivanilda, Maria Lúcia Aquino, conta que chegou a enviar uma mensagem para o celular da sobrinha porque estava preocupada com o desaparecimento dela. Ivanilda não voltou para casa na quarta-feira e também não avisou que iria para  algum local, o que não era hábito dela. Pouco depois, a polícia a procurou avisando sobre o crime. “Não acredito que isso aconteceu na minha família”, disse a tia, em prantos.

Um funcionário do hotel contou à polícia que, por volta das 3h, ouviu discussão no quarto onde o casal estava hospedado e, alguns minutos depois, ocorreu o disparo de arma de fogo. Ainda segundo o relato dele, o policial apareceu na recepção pedindo para fechar a conta com a desculpa de que precisava ir embora. Mas, como a polícia já havia sido chamada, ele foi impedido de sair.

Ainda conforme o depoimento dos funcionários, o PM proibiu que alguém se aproximasse da vítima para socorrê-la. Quando o Samu chegou, Ivanilda estava caída de bruços, com um tiro no peito. Ela ainda chegou a ser levada ao PS do Jabaquara, mas não resistiu.

Segundo o PM, Ivanilda estava mexendo na arma quando houve o disparo. A família dela não acredita em acidente. O casal havia se conhecido há um ano, quando ele trabalhava como segurança de condomínios.


Compartilhe: